Sintomas de diversas doenças, tonturas e enjoos podem ser causados por labirintite

A labirintite atinge cerca de 30% da população mundial. Entre os principais sintomas da labirintite estão tonturas e enjoos, que podem provocar vômitos. Isso atrasa a procura por orientação médica e dificulta o diagnóstico, já que esses sintomas são comuns também a outras doenças além do sistema auditivo, por exemplo: diabetes, hipertensão, reumatismo, infecções intestinais, alterações metabólicas ou hormonais, arterosclerose, traumas, hábitos alimentares inadequados, sedentarismo, estresse, problemas vasculares entre outros.

[Rinite alérgica no verão? Saiba como tratar]

Para evitar complicações otológicas e/ou otoneurológicas, é recomendado buscar ajuda de um médico otorrinolaringologista. Principalmente se a tontura e o enjoo forem persistentes e quando vierem acompanhados por zumbido no ouvido, perda auditiva ou sensação de ouvido tampado. Somente após a realização de consulta e exames específicos é possível determinar qual o tratamento mais indicado para cada paciente.

 

Como se dá o equilíbrio do corpo humano?

O ouvido é o órgão responsável pelo equilíbrio do nosso corpo, mais especificamente, uma pequena estrutura dentro da orelha interna, chamada labirinto (ou aparelho vestibular), formado por pelo utrículo, sáculo e pelos canais semicirculares. O utrículo e o sáculo estão localizados acima da cóclea, e têm o aspecto de bolsas cheias de substância gelatinosa, com paredes constituídas por células sensoriais. Sobre essas células existem minúsculos grãos de carbonato de cálcio chamados de otólitos.

 Quando o corpo se movimenta, a força da gravidade atrai os otólitos, que encostam nas células sensoriais e geram impulsos nervosos até cérebro. Com isso, o cérebro consegue determinar qual a posição da cabeça em relação à força gravitacional. E é assim que sabemos em que posição estamos. 

Os canais semicirculares são formados por três regiões dilatadas que se localizam acima do utrículo. Nessas regiões existem células sensoriais ciliadas cobertas por um líquido viscoso. Quando giramos o corpo, o líquido no interior dos canais semicirculares pressiona as células sensoriais ciliadas, gerando estímulos que são enviados ao cérebro.Ao pararmos, o líquido continua o movimento, por inércia, ou seja, as células sensoriais continuam recebendo estímulos mesmo com o corpo parado, mas nossos olhos “sabem” que o corpo não está mais girando. Isso provoca a sensação de tontura.

 Resumidamente, o labirinto é o órgão responsável por mandar para o cérebro os impulsos de deslocamento, e os olhos mostram o modo como o corpo está posicionado. Além disso, a pele, os músculos e as articulações também participam do equilíbrio corporal. Quando as informações (impulsos nervosos) geradas pelo ouvido e pelos olhos se opõem, ocorre a tontura e o enjoo.

Como tratar tonturas e enjoos causados por labirintite

Somente um médico otorinolaringologista pode prescrever o tratamento adequado para labirintite. 

Dependendo da causa do problema, pode ser necessário o uso de medicamentos anti-histamínicos, antieméticos, benzodiazepinas, antibióticos e anti-inflamatórios. A reabilitação vestibular, um método terapêutico para reparar o distúrbio de equilíbrio corporal, pode ser indicado em associação a outros métodos. 

 É possível, ainda mapear as causas das crises de labirintite para evitá-las. Com isso, o médico pode sugerir alteração dos hábitos alimentares e a prática de exercícios físicos. Evitar o consumo de bebidas alcoólicas e a exposição a lugares excessivamente barulhentos também pode ser indicado.

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *